Exposição e espetáculos de poesia celebram os 80 anos de Tom Zé

Tom Zé (Antonio José Santana Martins) nasceu em Irará, Bahia, em 11 de outubro de 1936. É compositor, cantor, performer, arranjador e escritor. Foto: Divulgação.

Uma exposição na CAIXA Cultural São Paulo, celebra as oito décadas de vida do icônico cantor e compositor tropicalista. Inédita, a mostra reúne obras gráficas, digitais e interativas que reavivam a trajetória de Tom Zé, o baiano de Irará que revolucionou o fazer musical no Brasil. Diferente de outras exposições, “Tom Zé 80 Anos” investe no trabalho gráfico-visual.

Entre as obras, uma linha do tempo detalhada perpassa os anos de vida de Tom Zé. Fotos de acervo, textos com inclusões em braile e vídeos extraídos de diversos documentários relevam a sua evolução e a genialidade do mestre de Irará. Delineia-se sua história, seguindo o caminho da sua origem interiorana, o começo de carreira, a Tropicália, o reconhecimento internacional e os prêmios, passando também pelas homenagens recebidas ao longo dos anos.

Um segundo espaço faz referência ao pioneirismo digital de Tom Zé. “Estudando o Sampler” é uma instalação de música interativa, visual e imersiva, em que os movimentos do corpo dos visitantes, monitorados por um sensor, transformam o espaço em uma verdadeira máquina de sampler. A instalação, assinada pelo coletivo Sangue no Silício, de Cachoeira (BA), explora a composição visual dos arames farpados e cordas criada por Tom Zé para seu disco “Estudando o Samba”, de 1976.

Também será possível conferir a vasta discografia de Tom Zé. Do primeiro disco autoral (“Tom Zé – Grande Liquidação”, 1968), até o último CD (“Canções Eróticas de Ninar”, 2016), 28 trabalhos completos estarão disponíveis para audição. Além da contribuição textual do escritor Antônio Risério, a mostra ainda expõe 10 instrumentos inventados a partir de objetos e materiais inusitados pelo próprio artista.

“Errática Tom Zé”

E a CAIXA Cultural apresenta, de 16 a 18 de março, o projeto “Errática Tom Zé”, que inclui roda de leituras e performances musicais em homenagem ao cantor e compositor baiano. Músicos, poetas e artistas como Lenora de Barros, Zé Miguel Wisnik, Lica Cecato, Cid Campos, Inayara Iná, Caco Pontes, Iara Rennó e Daniel Minchoni participam de série de apresentações que reverenciam a obra e o processo criativo de Tom Zé

Criada pelo poeta e designer gráfico André Vallias, em 2004, a Errática é uma sofisticada revista de poesia concebida para o meio digital. Para criá-la, Vallias se inspirou tanto na dinâmica dos blogs, que haviam se popularizado naquele início dos anos 2000, como nas revistas de poesia experimental da década de 1970. O projeto “Errática Tom Zé” trabalha a multiplicidade de linguagens, assim como a revista que lhe serviu de inspiração.

“Em 2008, o poeta Eucanaã Ferraz e eu tivemos a ideia de levar o conceito da revista digital para o palco, e concebemos uma série de espetáculos de poesia que foi realizada no Rio de Janeiro e em São Paulo. Participaram poetas e artistas os mais variados: Adriana Calcanhotto, Armando Freitas Filho, Elke Maravilha, Antonio Cicero, Jorge Mautner, Arnaldo Antunes, Numa Ciro, entre outros. Chamei de ‘espetáculos de poesia expandida’ porque as apresentações incluem performance, vídeo-animações, música, palavra falada e palavra cantada, uma mistura de linguagens bem no espírito da obra de Tom Zé”, explica Vallias.

O evento dialoga com a exposição “Tom Zé 80 Anos” que fica em cartaz na CAIXA Cultural São Paulo de 14 de março a 20 de maio.

Tom Zé

Antonio José Santana Martins nasceu em Irará, Bahia, em 11 de outubro de 1936. É compositor, cantor, performer, arranjador e escritor. Seus discos mais recentes são: “Sem você não A”, “Canções Eróticas de Ninar”, “Vira Lata na Via Láctea”, “Tropicália Lixo Lógico”, “O Pirulito da Ciência”, “Estudando a Bossa” e “Danç-Êh-Sá”. Em 2003, publicou o livro “Tropicalista Lenta Luta”, reunindo relato autobiográfico, reflexões sobre música, seleta de textos publicados e canções.

ServiçoTom Zé 80 anos
Local: CAIXA Cultural São Paulo.
Praça da Sé, 111 – Centro.
Data: de 14 de março a 20 de maio (de terça a domingo).
Horário: das 9h às 19h.
Informações: (11) 3321-4400.
Classificação indicativa: livre.
Entrada franca.

Errática Tom Zé
Local: CAIXA Cultural São Paulo.
Data: 17/03/2018 a 19/03/2018.
Horário: 19h15.
Horário da Bilheteria: 9h do dia de cada apresentação.
Entrada franca.

***
Da Redação com informações da CAIXA Cultural São Paulo.

Matéria oficial : http://saopaulosao.com.br/conteudos/recomendados/3655-exposi%C3%A7%C3%A3o-e-espet%C3%A1culos-de-poesia-homenageiam-os-80-anos-de-tom-z%C3%A9.html

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Error: Access Token is not valid or has expired. Feed will not update.
This error message is only visible to WordPress admins

There's an issue with the Instagram Access Token that you are using. Please obtain a new Access Token on the plugin's Settings page.
If you continue to have an issue with your Access Token then please see this FAQ for more information.