Com Camila Márdila, Coletivo AREAS “Eles Eram Muitos Cavalos” de 28 de junho a 2 de julho

Procurando programas imperdíveis em São Paulo? No blog do Visite São Paulo você encontra o que fazer na cidade, com ideias para passeios, melhores programas culturais, teatros, museus, shows, exposições, diversão para hoje, amanhã e final de semana, para crianças e adultos, pagos ou gratuitos e muito mais. Afinal, São Paulo é Tudo de Bom!

AREAS1

O projeto “Contaminações”, que explora as interações entre a literatura e diferentes linguagens artísticas, caminha para seu encerramento no Sesc Ipiranga. Até 2 de julho, a unidade recebe shows, dança e performance, além de exposição que está em cartaz desde o começo da programação, em março. Destaque para a mostra de processos ‘Eles Eram Muitos’, do Coletivo AREAS, inspirada em estudo do livro “Eles Eram Muitos Cavalos”, de Luiz Ruffato. O experimento cênico será apresentado de 28/6 a 2/7, de quarta a sábado às 21h, e domingo às 18h.

“Eles Eram Muitos”

Em apresentação mesclando artes cênicas, visuais e performance, o coletivo AREAS pesquisa os territórios em que dissonantes falas, gestos, imagens e sons ganham o sentido da cidade que cada um constrói para si. “Quando ‘andar para frente’ é imperativo sobre o indivíduo, testemunhamos experiências urbanas que se tornam cada vez mais excludentes e apartadas, intensificando sobre nós algo de que já sofremos por simples condição humana: o despertencimento” – explica Camila Márdila, integrante do Coletivo.
Impulsionado pela urgência de sensibilizar a escuta sobre o “outro”, como gesto político de resistência às forças que desejam suprimir o sujeito, os artistas residentes recorrem à escrita de Ruffato, acreditando que a obra precisa ser lida, ouvida, vista, presenciada e experienciada em diversos níveis de percepção.
Formado por Camila Márdila, Liliane Rovaris, Maria Silvia Siqueira Campos e Miwa Yanagizawa, o coletivo foi criado em 2012 e compromete-se com processos artísticos continuados em torno dos sujeitos e suas relações, afetos, histórias, memórias, atuações políticas e transformações. Para o experimento ‘Eles Eram Muitos’, o grupo convida os artistas Bruno Girello, Georgette Fadel, L.P.Daniel, Maíra Bühler e Yumi Sakate.

Programação da mostra Contaminações

A cozinheira, autora, socióloga Ivana Arruda Leite convida o escritor Luiz Ruffato na próxima edição de “A Cozinha da Doidivana”. Ele fala sobre sua carreira e livros enquanto saboreia pratos especiais preparados pela anfitriã. O encontro acontece no dia 25 de junho, às 19h.

Cênicas:

O espetáculo de dança ‘Nada Pode Tudo’, com a bailarina e coreógrafa Jussara Miller, dirigida por Norberto Prosa, é inspirada no diálogo dessa linguagem artística com a fotografia e a literatura, sobretudo na obra ‘Cá Entre Nós’, da poeta Alice Ruiz. O espetáculo é encenado nos dias 23, 24 e 25 de junho. Com versos que transitam entre a simplicidade e a extravagância, a obra de Alice empresta para a dança uma discussão sobre a inquietude de ser mulher e a sensibilidade transformada em energia literária. Em cena, os estados corporais da bailarina são relacionados com fotografias do artista Christian Laszlo, que são projetadas no palco. A interpretação já rendeu a Jussara o Prêmio Denilto Gomes de Dança 2015.

Música e Poesia:

Os fãs dessas duas linguagens artísticas serão agraciados pela programação da mostra com dois shows. O primeiro deles é o “Manifesto Poesia”, da cantora paulista Nô Stopa, que se apresenta nos dias 30 de junho e 1º de julho, ao lado de seu pai, Zé Geraldo, e de Fernando Anitelli, criador da banda O Teatro Mágico.
Já o poeta carioca Antonio Cícero e o cantor paraense Arthur Nogueira se encontram no dia 2 de julho para apresentar canções do disco ‘Presente (Antonio Cícero 70)’, projeto idealizado pelo DJ Zé Pedro para comemorar os 70 anos do escritor.

Artes Visuais:

Uma das principais atrações do projeto, a exposição “Contaminações” convida artistas visuais para demonstrar como as várias artes contaminaram os livros “Eles Eram Muitos Cavalos”, de Luiz Ruffato; “Zero”, de Ignácio Loyola Brandão; e “O Concerto de João Gilberto no Rio de Janeiro”, de Sérgio Sant’anna.
Com cenografia de Daniela Thomas e Felipe Tassara, a exibição, em cartaz até 2 de julho, conta com obras de Roberto Evangelista, Eder Santos, Franklin Cassaro, Heleno Bernardi, Álvaro Franca e Cristiano Mascaro.

Serviço:
Experimento Cênico
Residência “Eles Eram Muitos” – Ocupação AREAS Coletivo
Quando: de 28 junho a 02 de julho, de quarta a sábado às 21h e domingo às 18h
Local: ETA – Espaço de Tecnologias e Artes (20 pessoas)
Entrada: grátis, com distribuição de ingressos 1 hora antes do evento, na bilheteria. Lotação: 15 pessoas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *