Happy Hour no Theatro Municipal em setembro

Os Happy Hours de setembro trazem programação gratuita e diversificada no saguão do Theatro Municipal de São Paulo, instituição da Secretaria Municipal de Cultura, nas segundas-feiras, 3, 10 e 17, sempre às 18h.

No Happy Hour da segunda-feira, 3 de setembro, Elaine Bueno e Nélio Santos fazem um dueto de voz e violão no primeiro Happy Hour do mês para interpretar composições da música popular brasileira de Tom Jobim, Adoniran Barbosa e Tim Maia, entre outros. Uma semana depois, no dia 10, outro duo, agora de flauta e piano da Orquestra Experimental de Repertório, formado por Larissa Souza Cunha Assunção e Júlia Souza Cunha, executa obras de Franz Liszt, Frédéric Chopin, Robert Schumann e Carl Reinecke.

Com a soprano Laura de Souza, Eder Assunção na viola e Hermes Jacchieri, no piano, o Happy Hour de 17 de setembro tem quatro peças de Johannes Brahms, – Gesänge, op.91; Wie Melodien zieht es mir leise durch den Sinn, op. 105; Die Mainacht, op.43 e Alte Liebe, op.72 – e Élégie, op.30, de Henri Vieuxtemps.

A retirada dos ingressos para o Happy Hour deve ser feita uma hora antes início das apresentações. Os músicos que se apresentam na série Happy Hour fazem parte da Escola de Música do Theatro Municipal de São Paulo e da Orquestra Experimental de Repertório que pertencem à Fundação Theatro Municipal de São Paulo.

Diretoria de Formação
Todas essas séries são organizadas pela Diretoria de Formação da Fundação Theatro Municipal de São Paulo. O objetivo é articular e promover a interação das atividades artístico-pedagógicas e administrativas dos setores que a compõem: a Escola de Música do Theatro Municipal de São Paulo, a Escola de Dança do Theatro Municipal de São Paulo e a Orquestra Experimental de Repertório.

A Diretoria de Formação também trabalha de forma constante em prol do estabelecimento de intercâmbio de suas escolas, grupos e alunos, com as atividades artísticas profissionais no Theatro Municipal de São Paulo, além de outras instituições educacionais e culturais, por meio da participação dos grupos artísticos em apresentações, produções, ensaios e masterclasses.

Escola de Música do Theatro Municipal de São Paulo
Uma das mais renomadas instituições de ensino musical da América Latina, a Escola de Música do Theatro Municipal de São Paulo é responsável pela formação de diversas gerações de músicos em atividade profissional no Brasil e em outras partes do mundo. Fundada em 1969 pelo maestro e compositor Olivier Toni, desde o início de 2013, passou a integrar a Fundação Theatro Municipal de São Paulo. Atualmente é dirigida pelo professor e compositor Antonio Ribeiro.

Todos os cursos oferecidos pela Escola de Música do Theatro Municipal de São Paulo são gratuitos e ocorrem na Praça das Artes, centro da capital paulista.

Orquestra Experimental de Repertório
A Orquestra Experimental de Repertório (OER) foi criada em 1990 a partir de um projeto do Maestro Jamil Maluf, e oficializada pela Lei 11.227, de 1992.

A OER tem por objetivos a formação de profissionais de orquestra da mais alta qualidade, a difusão de um repertório abrangente e diversificado, que mostre o extenso alcance da arte sinfônica, bem como a formação de plateias. Suas várias séries de concertos com renomadas estrelas da música erudita e popular, bem como suas montagens de óperas, balés e gravações para TV, compõem uma programação que, há vários anos, vem conquistando público e crítica. Entre os vários prêmios que recebeu está o Prêmio Carlos Gomes, como destaque de música erudita.

De 2014 a 2016 a OER foi dirigida pelo Maestro Carlos Moreno, voltando a ter o Maestro Jamil Maluf como seu Regente Titular a partir de 2017, com o Maestro Thiago Tavares, como Regente Associado.

Serviço
Happy Hour no Theatro Municipal
Local: Theatro Municipal de São Paulo – Saguão
Capacidade: 80 lugares
Ingressos: Grátis. Retirada de ingressos na bilheteria com uma hora de antecedência.
*Não será permitida a entrada após o início da apresentação

Programa:
Era uma vez | Kell Smith
Te devoro | Djavan
Colombina | Ed Motta
Wave | Tom Jobim
Bola de meia, bola de gude | Milton Nascimento
Minha felicidade | Roberta Campos
Trevo | Anavitória
Água de beber | Tom Jobim
Trem bala | Ana Vilela
Descobridor dos sete mares | Tim Maia
Ai, ai, ai | Vanessa da Mata
A história de Lilly Braun | Chico Buarque
Trem das onze | Adoniran Barbosa (Demônios da Garoa)
Elaine Bueno – voz
Nélio Santos – voz e violão
Data: Segunda-feira, 3/9, 18h.
Duração: aprox. 30 min.
Classificação Indicativa: livre (recomendado para maiores de 7 anos)

Programa:
Duo de flauta e piano da OER
Estudo n° 9, lá bemol maior para piano | F. Liszt
Noturno n° 21, bI 108 para piano | F. Chopin
Três romances, op. 94 para flauta e piano | R. Schumann
Concerto para flauta, 1° mov. | C. Reinecke
Larissa Souza Cunha Assunção – flauta
Júlia Souza Cunha – piano
Data: Segunda-feira, 10/9, 18h.
Duração: aprox. 30 min.
Classificação Indicativa: livre (recomendado para maiores de 7 anos)

Programa:
2 Gesänge, op.91 | J. Brahms
Wie Melodien zieht es mir leise durch den Sinn, op. 105 | J. Brahms
Die Mainacht, op.43 | J. Brahms
Alte Liebe, op.72 | J. Brahms
Élégie, op.30 | H. Vieuxtemps
Hermes Jacchieri – piano
Eder Assunção – viola
Laura de Souza – soprano
Data: Segunda-feira, 17/9, 18h.
Duração: aprox. 45 min.
Classificação Indicativa: livre (recomendado para maiores de 7 anos)

Theatro Municipal de São Paulo
O Theatro Municipal de São Paulo faz parte da Secretaria Municipal de Cultura. Em 27 de maio de 2011, o Theatro Municipal de São Paulo foi transformado de departamento da Secretaria Municipal de Cultura em Fundação de direito público, com um corpo artístico formado pela Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo, Coro Lírico Municipal de São Paulo, Balé da Cidade de São Paulo, Quarteto de Cordas da Cidade de São Paulo, Coral Paulistano , Orquestra Experimental de Repertório, Escola Música do Theatro Municipal de São Paulo e pela Escola de Dança do Theatro Municipal de São Paulo, e tendo como espaços o Theatro Municipal, a Central Técnica do Theatro Municipal e a Praça das Artes.

Inaugurado em 12 de setembro de 1911, o edifício inspirado na Ópera Garnier, em Paris, tem a assinatura do arquiteto Ramos de Azevedo e projeto interno dos italianos Cláudio Rossi e Domiziano Rossi. Além de receber grandes nomes mundiais da música e da dança como Enrico Caruso, Maria Callas, Francisco Mignoni, Duke Ellington, Ella Fitzgerald, Isadora Duncan, Nijinsky, Nureyev e Baryshnikov; o Theatro também foi cenário de um dos principais eventos da história das artes no Brasil, a Semana de Arte Moderna.

Nos quase 107 anos do Theatro Municipal, três grandes reformas marcaram as mudanças e renovações do prédio: a primeira delas, em 1954, criou novos pavimentos para ampliar os camarins, reduziu os camarotes e instalou o órgão G. Tamburini; a segunda, de 1986 a 1991, restau e para celebrar o centenário, a terceira reforma, mais complexa que as anteriores, restaurou o edifício e modernizou o palco.

Instituto Odeon
O Instituto Odeon é o gestor do Theatro Municipal de São Paulo. Com mais de 20 anos de atuação na área da cultura, o Instituto se destaca pela gestão do Museu de Arte do Rio – MAR, no Rio de Janeiro, além de consultorias ao Governo do Pernambuco e Prefeitura de Porto Alegre, produção de espetáculos de teatro e idealização e gestão de diversos projetos socioculturais. A instituição assumiu em 1º de setembro a gestão do corpo artístico formado pela Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo, Coro Lírico Municipal de São Paulo, Balé da Cidade de São Paulo, Quarteto de Cordas da Cidade de São Paulo, Coral Paulistano Mário de Andrade e Orquestra Experimental de Repertório e dos espaços Theatro Municipal, Central Técnica do Theatro Municipal e Praça das Artes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *