Revitalização do Largo do Arouche já tem prazo para começar

 

A reforma do Largo do Arouche, no centro de São Paulo, já tem prazo para começar: está prevista para a segunda quinzena de junho, com entrega prometida para 2019. A previsão é reconstruir o Mercado das Flores e instalar quatro novos quiosques no local.

A reforma foi aprovada há dois meses no Condephaat, órgão estadual de patrimônio. A Prefeitura não informou o valor da obra. A pedido do ex-prefeito João Doria (PSDB), 25 empresários franceses doaram R$ 2,3 milhões para a obra, segundo a Câmara do Comércio França-Brasil.

Em 2017, Doria convocou a comunidade francesa a dar um presente para a cidade de e propôs requalificar o Arouche. Ele defendia a ideia de transformar o espaço em um “promenade” (passeio, em francês).

Como vai ficar

A reforma mais recente no Largo do Arouche ocorreu em 2013, com a pintura das sinalizações, a plantação de vegetação e de gramado, além da restauração do calçamento.

Imagem: Editoria de Arte / Estadão.

Imagem: Editoria de Arte / Estadão.

 

O aval do Condephaat ao projeto não foi unânime. O tombamento do Largo está sob análise do órgão – a área já é preservada em nível municipal pelo Conpresp. Entre os conselheiros, houve quem pedisse a manutenção da integridade do espaço até o Condephaat decidir se aprova ou não o tombamento.

Doado pelo escritório de arquitetura francês Triptyque, o projeto prevê demolir e reconstruir o Mercado das Flores, inaugurado em 1953. O local vai ganhar uma marquise para captação, armazenamento e reúso de água da chuva para rega das plantas. “Com essa grande marquise será possível colocar painéis fotovoltaicos. Isso vai dar autonomia de energia de quase 100%”, explica Greg Bousquet, arquiteto e urbanista, sócio do Triptyque.

Imagem: Triptyque.

Imagem: Triptyque.

 

Já os quatro novos quiosques vão abrigar a administração do Largo com uma horta comunitária anexa; o centro de atendimento social, psicológico e jurídico para o público LGBT; a base da Polícia Militar; e o banheiro público aberto 24 horas.

O projeto também prevê ampliar o espaço público para além dos limites do Largo. Isso porque a obra vai nivelar o piso do local até a calçada que abriga o restaurante francês La Casserole e a Academia Paulista de Letras. O nivelamento do piso com a rua é um convite à redução de velocidade dos veículos.

Imagem: Triptyque.Imagem: Triptyque.

Segundo Bousquet, a proposta segue o modelo “traffic calming”, semelhante ao que já existe na Rua Avanhandava e na Praça do Patriarca. “O carro não se sente à vontade. Não é território dele. Está andando em um lugar de pedestre. Então, carros e ônibus vão andar a 20 ou 30 km/h, no máximo.”

Expectativas

Hoje há três lojas no mercado. Vendedor há 25 anos, Edson Rosendo, de 44, acredita que a “nova cara” do Largo atraia um público diário de compradores. A maioria das vendas, diz, passou a ser feita virtualmente ou por telefone. “Há mais ou menos cinco anos perdemos um público que chegava a pé ou de carro para vir comprar. Tínhamos clientes dos Jardins e de Higienópolis que não vêm mais”, diz. “Não adianta só virar um ponto chique se o público também não mudar. Além de reformar, precisa ter divulgação também.”

Imagem: Triptyque.Imagem: Triptyque.

Moradores esperam que, com a mudança, crianças e cachorros tenham mais espaço do que usuários de drogas. O projeto prevê uma área para os cães. Com bancos de concreto e madeira, o Largo terá ainda um playground diferente para as crianças. À noite, ele também poderá ser usado como local para sentar.

Para a confeiteira Juliana Dirani, de 28 anos, moradora da região, é importante que a base da PM seja fixa, como previsto no projeto. “Fora da vista deles, já não é tão seguro ficar no Largo. Sempre ouvimos falar de roubo de bicicleta ou furto de celular.” Ela relata que, nos fins de semana, o clima de insegurança é ainda maior por causa das festas. “Eles vêm para cá com caixas de som e o fim de semana é uma balada LGBT”, diz.

Dono do La Casserole, instalado no Arouche desde 1954, Leo Henry acredita que o projeto é “moderno e inclusivo”, respeitando “todas as facetas” do Largo. “Acompanhamos desde o início”, conta. A última reforma no local foi em 2013, com restauração do calçamento, pintura e novo gramado.

Grupo promete contestar reforma na Justiça

Prefeitura recorreu a consulados e a empresas estrangeiras para reformar alguns pontos da cidade. Foto: Folhapress.Prefeitura recorreu a consulados e a empresas estrangeiras para reformar alguns pontos da cidade. Foto: Folhapress.

O coletivo Arouchianos, grupo LGBT do Largo, promete entrar na Justiça contra a reforma. Militantes temem a expulsão de LGBTs do Largo e acreditam que a construção do projeto foi pouco participativa. Para Hélcio Beuclair, coordenador dos Arouchianos, o projeto “não contempla o público LGBT”, que tradicionalmente frequenta o local, e deveria trazer mais símbolos desse público.

Responsável pela ponte entre a Prefeitura e os empresários franceses, o cônsul-geral da França, Pont Brieuc, diz não haver intenção de expulsar LGBTs. “A França gosta de realizar e faz isso com espírito humanista, universalista. Não há ali abordagem higienista e ‘gourmetista’.”

Segundo o arquiteto do escritório Triptyque, Greg Bousquet, o quiosque LBGT “foi a primeira coisa” que os autores do projeto pensaram”. Para ele, “não se pode fazer um gueto no Largo”.

****
Por Juliana Diógenes, O Estado de S.Paulo.

Conheça o Site : http://saopaulosao.com.br/nossas-acoes/3838-revitaliza%C3%A7%C3%A3o-do-largo-do-arouche-j%C3%A1-tem-prazo-para-come%C3%A7ar.html

 

Um comentário em “Revitalização do Largo do Arouche já tem prazo para começar

  • outubro 4, 2018 em 7:38 pm
    Permalink

    Não começou a reforma? Tem notícias do que houve?

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Error: Access Token is not valid or has expired. Feed will not update.
This error message is only visible to WordPress admins

There's an issue with the Instagram Access Token that you are using. Please obtain a new Access Token on the plugin's Settings page.
If you continue to have an issue with your Access Token then please see this FAQ for more information.